Dificuldade financeira faz artista voltar para os palcos

Projeto Casa dos Cordéis precisa de auxílio para continuar sua missão pela cultura e foi o motivo para a realização do espetáculo

por BRUNO CARVALHO

  Como sempre ligado às suas raízes, o cantador Bosco Maciel, 59 anos, buscou inspiração nos seus primórdios para batizar seu novo show de O Canto do Ferreiro (ave que também é conhecida como araponga).  O pai do artista criava esse pássaro de canto potente que pode ser ouvido até quatro quilômetros de distância.

  No repertório, só uma música que não é de autoria de Bosco, Lua Bonita, que tem aproximadamente 70 anos, foi composta pelo Zé do Norte. Essa é uma homenagem ao conterrâneo, que completaria 100 anos de nascimento em 2009.

 As canções que serão executadas no show foram retiradas do estado de espírito do autor, saíram de momentos de melancolia ou excitação. “A música que nós produzimos, é o resultado da nossa própria vida, da nossa própria experiência e de nossa sensibilidade”, declamou Bosco Maciel.

 Os temas surgem do amor, do humor, das histórias e dos costumes populares. Algumas letras fazem parte do seu livro “Romanceiro” e outras são composições mais recentes.

 O artista está ligado às artes desde criança e, declarou que musicalmente este é o espetáculo mais completo da sua carreira, caprichou tecnicamente e não deixou a sensibilidade de lado. São três músicos no acompanhamento musical – Vinícius Medrado, Amanda Ribeiro e Helena Bruna que dividem instrumentos como harpa, acordeon, violão de 12 cordas, viola e ânfora.

  Para quem já assistiu a uma apresentação do cantador, percebe-se que a emoção faz parte da sua arte, pois, não é difícil de ver as lágrimas escorrerem enquanto canta. Maciel nos contou: “Eu quando canto, estou tentando tirar uma expressão do meu eu, tudo que tenho dentro, ponho para fora através da música”.

 

Como o ferreiro, o cantor ecoa seu talento na varanda do instituto cultural

Como o ferreiro, o cantor ecoa seu talento na varanda do instituto cultural

 O cantor há algum tempo vinha fugindo dos palcos, mas resolveu voltar para ajudar o projeto que leva nas “costas”, o Instituto Cultural Casa dos Cordéis, promove a cultura popular e, abre espaço para repentistas, artistas plásticos, poetas para se apresentarem, além de cursos de artesanatos. Parte da renda da bilheteria vai ser direcionada para o instituto.

 O problema é que a casa sofre com problemas financeiros, pois, apenas parte das despesas é paga pelo projeto Funcultura, outra parte sai do próprio bolso do artista. Para não parar com projeto foi criado o “Eu sou amigo da Casa dos Cordéis”, que é um modo de arrecadar verba. Qualquer empresa ou pessoa física pode contribuir. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail: boscojb@gmail.com ou pelos telefones: 2229-8930 e 5083-8676, que serão passadas todas as diretrizes de como proceder à ajuda.

Serviço:

O Canto do Ferreiro

18 de julho (sábado)

Indicação: livre. Ingressos à venda na bilheteria do teatro, uma hora antes do início do espetáculo – R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Mais informações e vendas antecipadas pelo telefone 2229-8930 ou no http://www.boscomaciel.com.br. Rua Francisco Foot, 3, Gopoúva. 20h.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: